CD LULU, A VADIA

CD LULU, A VADIA

sábado, 21 de julho de 2018

DO FUNDO DO BAÚ - LULUZINHO DANDO PRO GRINGO TARADO

Nesse vídeo estou dando meu cuzinho para um gringo, o tarado fez questão de me fuder como Cdzinha Lulu, uma menininha bem submissa, vejam minhas unhas pintadinhas, fiquei uma putinha bem deliciosa, o caralho do gringo entrava em mim sem pena...achei uma delicia.

sábado, 16 de junho de 2018

CONTOS DE LULU (Capitulo 25) O DIA EM QUE LULUZINHO TEM O CU ESFOLADO PELA A ROLA MONSTRA DO NEGÃO TOM.





No capitulo anterior (Capítulo 24). meu cuzinho foi esfolado pelos gringos amigos do meu primo, o cretino adorava me  exibir para o deleite dos seus amigos, aquela noite não foi a primeira vez que ele me forçava a dar meu cuzinho para outros homens, embora me sentisse humilhado naquela situação, confecção que de alguma forma aquilo me excitava, gostava de provocar aquela situação nos caras, os olhos deles brilhavam, agiam descontrolados ao me possuírem. Hoje eu sei que aquelas atitudes jamais deveriam acontecer, abusar de uma criança era uma atitude um tanto perigosa.
No entanto naquele momento ninguém ali naquele quarto estava preocupados com isso, embora Tom, o mais velho dos africanos, já havia comentado sobre o que estavam fazendo comigo, mas Caio desconversou e  continuou a me fuder na frente dos seus amigos, que não  se contiveram e entraram na brincadeira, virei um brinquedinho sexual nas mãos deles.
Caio, Fred e Jean, caíram exauridos depois de gozarem em mim.
- O cuzinho do meu priminho é todo seu! – disse Caio ao dar uma palmada em meu bumbum empinado,
- Cara, o negão vai matar o miúdo com essa rola! – exclamou Fred preocupado.
Enquanto eles discutiam sobre o tamanho da rola do Tom, aproveitei e fui ao banheiro, me agachei e deixei escorrer todo o gozo que se acumulou entro de mim, ao me assear senti meu cuzinho ardido e alargado, não era pra menos, não tinha na época o entendimento sobre tamanho de rolas, mas hoje acredito que em média elas deviam ter no mínimo 22cm, quanto a rola do negão Tom,  além de ser um pouco maior, seu formato era estranho, parecia uma berinjela, muito grossa.
Ouço meu primo me chamar,  não dei ouvidos, não iria deixar aquela coisa grossa e negra entrar em mim.
- Lulu, venha cá, seu bostinha! – gritou Caio ao me ver correndo pro meu quarto – Ainda não terminamos a brincadeira....
Não quero mais, falei ao tentar fechar a porta do quarto, mas Caio me colocou em seus braços e me levou para seus amigos.
- O que é isso, bonitinho?- Disse Tom ao acariciar sua rola – Estou louco parta experimentar esse cuzinho suculento....
- Caio por favor, estou com sono! - implorei ao avistar seus amigos segurando suas rolas em riste na minha frente.
Fred se aproximou de mim e me fez cheirar um vidrinho, aquilo me deixou tonto por alguns instantes.
- Porra, macho, o que foi isso que você fez? – reclamou Caio preocupado – Que troço é esse tal de Poppers.
Jean acalma Caio, explica  que aquilo era um remedinho que iria me deixar com muito fogo. Meu primo  sorriu, dizendo que eu não precisava daquilo. Minha cabeça rodopiou após cheirar aquele vidrinho, um sensação estranha, sentia uma excitação em meu corpo,  como também uma relaxamento no corpo, embriagado com aquele cheiro, cai sobre o sofá, minhas pernas não me obedeciam.
Jean vendo meu bumbum empinado, caiu de boca nele, o francês ruivo deslizava sua língua em meu cuzinho, aquilo me deixou muito excitado, empinei ainda mais minha bundinha para receber aquele carinho.
- O efeito do remedinho está fazendo efeito! – disse Tom ao observar minha reação - Desse jeito não vai ser difícil desfrutar desse cuzinho lindo...
Tom completou seu comentário, ao revelar que sempre dá para suas parceiras, uma cheirada desse líquido para elas, pois só assim elas conseguem relaxar ao receber sua rolona, pelo o fogo que estava sentindo no meu cuzinho acho que ele tinha razão, o toque da língua do ruivo estava me deixando louco de tesão, eu me abria cada vez mais para sentir a língua de Jean dentro de mim, Caio afastou o francês de perto de mim e enfiou a sua rola em meu anelzinho, apenas gemi satisfeito com aquela invasão, cada centímetro que entrava dentro de mim me causava uma sensação enorme de prazer. Meu primo vendo minha disposição para receber sua rola, me penetrava com força, eu recebia suas roladas deitado, de bunda empinada, quase desfalecido de tanto tesão. Os gringos observavam com os olhos sedentos aquela cena, Caio vendo seus amigos excitados, me fez sentar sobre a rola de cada um, e assim obedeci, primeiro sentou de costa sobre a rola de pelos ruivos do francês, Jean balbuciou em sua língua algumas palavras algum que demostrava seu prazer em ver minha bundinha morena de menino deslizar em seu colo, engolindo sua rola até o talo, como eu era pequeno em relação ao seu corpo, aquilo parecia excitar cada vez mais os outros ao meu redor, eu feito uma putinha sai de cima do francês e fui direto para o colo do angolano Fred, este segurava sua jeba negra em riste e parecia não acreditar quando pouco a pouco fui engolindo com meu cuzinho sua rola comprida.
- Puta que pariu, priminho! – Exclamou Caio satisfeito com minha ação – Tu está me saindo um viadinho safado!
Aquele comentário me incentivava ainda mais, meu cuzinho implorava por rola, podia sentir isso, porém quando chegou a vez do negão Tom, fiquei com medo, recuei, deixando o angolano indócil de tesão. Caio, me fez cheirar mais um pouco do vidrinho, dizendo que eu devia terminar o serviço, meu primo estava muito alterado, sempre ficava assim quando bebia, mesmo tonto devido o remédio, tentei ir pro meu quarto, mas Caio me segurou pelo o braço e me forçou a sentar sobre a rola do amigo, chorei com medo, mas obedeci.
- Vamos senta nessa rola seu bostinha! – gritou Caio ao me força no colo do negão Tom.
- Calma, Caio! – reclamou Tom diante da grosseria do amigo – Assim você está assustando a criança.....
O efeito do remédio me ajudou, pois senti um relaxamento em meu corpo, comecei a forçar meu cuzinho sobre o cacetão do negão, pude sentir sua cabeçona querendo espaço para entrar em mim, mas recuei, senti dor, Tom passou um pomada em meu cu, seu dedo lambuzou toda a minha região anal e inclusive dentro de mim, então senti uma sensação de dormência, aos poucos deixei ele explorar meu cuzinho com seus dedos dentro de mim, me alargando, enquanto ele fazia isso, Caio e seu outros amigos observavam o meu preparo para receber aquela rolona pulsante, Tom, ofereceu meu cuzinho aos amigos para passar pomadinha, e assim fizera cada um, enfiando sem cerimônia seus dedos compridos, me alargando ainda mais.
Tom me colocou em seus braços, se pós em pé comigo espetado em sua jeba, recuei me segurando em seu pescoço, praticamente me pendurando nele, eu parecia um bonequinho em seus braços.
- Lascou-se Lulu! – sorriu Caio ao me ver nos braços do negão Tom
Ele tinha razão, aquilo era uma armadilha, eu não tinha mais força de evitar minha descida sobre a rola do angolano Tom, o inevitável aconteceu, meu cuzinho todo melecado de pomada, anestesiado, não demorou a cabeça do cacetão grosso do negão me invadir, alargando meu esfíncter, embora anestesiado não pude deixar de sentir uma dor com aquela invasão, mas apesar da dor, meu corpo parecia explodir de tanta excitação.
- Caralho! – Exclamou Caio ao ver meu cuzinho atochado naquele pauzão – Não acredito no que estou vendo!
- Eita porra! – exclamou Fred
- Que tesão! – exclamou Jean.
Tom nada dizia e nem se movia, temendo me machucar, pois eu praticamente estava preso a ele pelo meu cuzinho, sua rola pulsava dentro de mim, podia sentir isso, o negão apenas beijava meu rosto agradecido pela minha entrega.
Jean me fez cheirar mais um pouco do vidrinho, sabia do efeito que aquele líquido estava fazendo em mim, meus músculos estava relaxado, meu cuzinho começou a piscar,  eu mordiscava a jeba negra do Tom, deixando ele descontrolado de tanto tesão, diante de um espelho pude ver minha situação, estava literalmente espetado numa rola parecida com um berinjela roliça, meu cu estava muito largo. Caio e seus amigos se masturbavam frenéticos com aquela visão, Tom me leva até a cozinha ainda espetado em mim e me coloca sobre a mesa, pois assim facilitaria o que ele iria fazer em mim, elevou minhas perninhas até seus ombros, e ainda sem tirar sua rola de mim, começou a me penetrar  num vai e vem  compassado,  cada rolada emitia um barulho, tipo...ploc....ploc.....eu fechei meus olhos e procurei sentir aquela invasão dentro do meu cuzinho, não sentia dor naquele momento, apenas a pressão do cacete do negão alargando meu canal anal, como eu ainda era uma menino de apenas doze anos, certamente não haveria espaço suficiente dentro de mim, para receber completamente aquelas rolas, mas para os caras que me fudiam, isso era problema meu, pois me penetrava sem pena e Tom era um deles, minha condição de criança parecia aumentar ainda mais seu tesão.
Após alguns minutos, sinto a rola do negão Tom pulsar dentro de mim, expelindo todo seu gozo, desfalecido ele se afasta de mim, deixando um buraco enorme no meu cu, que logo foi preenchido pela a rola do meu primo Caio que nem se importou com esperma do amigo saindo do meu cuzinho, foi logo metendo em mim ensandecido, eu apenas permaneci de pernas abertas recebendo suas roladas, depois foi a vez do Fred e depois do francês Jean, todos entupiram meu cuzinho esfolado de leite.
Permaneci quieto deitado sobre a mesa, deixei escorrer todo o esperma de dentro de mim, com as pernas bambas, me dirigi até o banheiro e tomei um banho, estava com o corpo exalando bebida e porra, Caio e seus amigos ficaram desfalecidos na sala, satisfeitos depois de abusarem de mim.


Continua nos próximos capítulos.....

quarta-feira, 6 de junho de 2018

SEXO EM FAMÍLIA - LULU VIOLENTADO PELO O PRIMO.

Nesse vídeo Caio, meu primo me pega á força e fode meu cuzinho sem dó, não se importou com meu choro, eu ainda era bem novinho nesse vídeo, vejam o tamanho do negão sobre meu corpinho de garoto.

segunda-feira, 28 de maio de 2018

sexta-feira, 4 de maio de 2018

SEXO EM FAMÍLIA - LULU DANDO SEU CUZINHO PRO PRIMO.

Meu primo não dispensa meu rabinho, sempre que nos encontramos meu cuzinho pisca de tesão, pois é rolada na certa....uma delicia.

sexta-feira, 6 de abril de 2018

CONTOS DE LULU - (Capítulo 24) - LULU E SEU CUZINHO GULOSO FAZ A FESTINHA DOS AMIGOS DO PRIMO..


No capitulo anterior (capitulo 23) meu primo Caio mas uma vez me deixou numa situação complicada, bêbado o cretino abusou de mim na frente dos seus amigos.
Caio indiferente aos meus lamentos, socava sua rola dentro de mim, seus amigos nos olhavam admirados cheios de tesão. Joel se aproxima de nós exibindo sua rola repleta de pelos ruivos e se masturba freneticamente, incentivando meu primo ao me penetrar ainda mais.
Caio  aponta para a rola do amigo e me força a chupá-la, balanço a cabeça recusando. Claro que a visão daquela rola branca pedindo uma mamada me atraia, mas estava tão puto com a atitude do meu primo que resisti em obedecê-lo.
- Chupa esse caralho, seu viadinho! – gritou Caio ao guiar minha cabeça  em direção da rola do Francês Jean.
O ruivo olhava pra mim ansioso, abri minha boca e recebi sua rola, calmamente suguei  cada centímetro, Jean suspirava excitado, não se conteve e começou a gozar na minha boca, seu esperma deslizou pela minha garganta adentro, me fazendo tossir.
- Caramba, Caio! – exclamou Jean satisfeito – Seu priminho é uma delicia.....
Meu primo acompanha o gozo do amigo e encheu meu cuzinho de leite, seu cacete pulsa dentro de mim soltando seu gozo.
Caio após gozar se acomoda na poltrona exausto, permaneço deitado por alguns minutos, Jean, Fred e Tom pareciam não acreditar no que estava acontecendo e permaneceram sentados olhando para mim.
Com as pernas bambas vou até o banheiro afim de me assear, meu cuzinho estava cheio de porra, expeli para fora e lavo minha boca afim de tirar o gosto do sêmen. Ao voltar para sala, procuro minhas roupas, Caio e seus amigos sorriam ao me ver tentando esconder meu pinto e gozam do seu tamanho minúsculo.
- Que pintinho mais lindo! – disse Caio ao me tocar – Será que essa coisinha vai crescer?
Com raiva tento estapear meu primo, mas esse me segura com força e me faz sentar em seu colo, ele continuava pelado e sua rola começava a dar sinal de vida abaixo de mim, senti seu bafo de bebida em meu pescoço pedindo para me acalmar, pois agora era a vez dos seus amigos brincarem comigo e apontou eles babando olhando pra mim.
A ideia  de brincar com os gringos me excitou, meu cuzinho piscou, mas estava muito dolorido, Jean e Fred consegui aguentar suas rolas, mas a do Tom não sei se daria conta.
- Estou muito dolorido! – reclamei
- O que é isso moleque? – perguntou Caio ao apalpar meu bumbum – Sei que você dar conta desses caralhos direitinho.....
Ao dizer isso, Caio corre até o meu quarto e volta com a pomada que meu tio costuma passar em mim afim de aliviar meu cuzinho depois das fodas,  ele unta meu anelzinho de pomada e logo sinto um alivio anestesiante.
Caio me coloca em seus braços e me leva até seu quarto, seus amigos nos segue ansiosos para começarem a brincadeira, Jean e Fred eram os mais entusiasmados, quanto ao Tom esse ficou preocupado, pois temia a chegada do meu tio, mas Caio o acalmou, dizendo que ele não dormiria em casa, até fechou a porta para não sermos incomodados. Enquanto eles se preparava eu fiquei deitado observando eles se despindo, meu coração batia acelerado, confesso que minha cabeça era uma confusão só, estava muito excitado e ao mesmo tempo com medo, eu era apenas um menino, era essa uma das preocupações dos rapazes, mas Caio assegurou que aquilo seria um segredo nosso.
- Vocês não terão outra oportunidade dessas! – disse ele ao me posicionar de quatro na borda da cama com a bundinha empinada  - O cuzinho do Lulu é uma delicia.....
Fred era o mais afoito e logo começou a apalmar meu bumbum, admirando a maciez da minha pele.
- Cara, isso é uma loucura! – Exclamou ele ao beijar minhas nádegas – Eu nunca pensei em fuder com homem....mas esse moreninho é uma delicia....
Fred piscou o olho pra mim, compreendi seu gesto, pois poucas horas atrás ele e o francês Jean havia comido meu rabinho, Tom até tentou, mas não conseguiu.
- Deixa de bobagem, Fred! – disse Caio ao ouvir o comentário do amigo – Meu priminho ainda não é um homem.....
Comentário mais besta pensei ao sentir a língua do Fred  invadir meu anelzinho que piscou com aquele contato, adorava sentir uma língua no cu, aquilo era gostoso demais, meu gemido deixou todos animados, Jean logo posicionou sua rola na minha boca, desta vez não fiz nenhum gesto de recusa e logo passei a mamar aquela rola branca, já que não conseguiria me livrar daquela situação só me restaria aproveitar.
Enquanto mamava a rola do ruivo, Fred posicionou sua rola na portinha do meu cu e ficou forçando sua entrada até a cabeça do cacete me invadir, alojando-se bem fundo nas minhas entranhas.
- Caralho, meu.....que cuzinho mais gostoso! – exclamou Fred ao me penetrar
Enquanto o angolano me fudia, Jean continuava a mover sua rola na minha boca, Tom queria também experimentar e tomou o lugar do ruivo, sua rola de todas ali, era a mais grossa, tive dificuldade de abocanha-la. Enquanto isso Jean assumia meu cuzinho e metia nele sem dó me arrancando gemidos de dor, Caio, meu primo se masturbava vendo seus amigos me devorando, seus olhos brilhavam cheio de tesão, aquilo me dava mais vontade de dar para aqueles gringos, mas meu cuzinho já não dava conta, comecei a sentir dor, Fred e Jean se reservava nas metidas no meu anelzinho arrombado, eles comentavam admirados a situação do meu cuzinho ao tirar suas rolas de dentro de mim, meu cuzinho se fechava como uma flor, piscando por mais e assim continuaram a me fuder, Tom encheu de leite minha boca, tentei cuspir fora, mas Caio me ameaçou a me bater se eu fizesse aquilo e obedeci e engoli a porra do negão da pica descomunal, Fred esporra dentro do meu cu seu gozo, Jean acaba de encher ainda mais meu cu, também esporrando seu esperma dentro de mim, exausto permaneci de bunda empinada, a porra dos gringos escorria pelas minhas coxas, enquanto sentia o gosto amargo da porra do negão Tom em minha garganta.
- Porra, caras! – exclamou Caio ao ver meu cuzinho fudido – Vocês arrebentaram meu priminho!
- Vocês virgula! – protestou Tom ao masturbar sua rolona – Ainda falta o negão aqui!
Todos olharam para a jeba negra do Tom e todos concordaram que eu não daria conta daquilo no meu rabinho inocente de criança.

Continua nos próximos capítulos.....

segunda-feira, 2 de abril de 2018

DO FUNDO DO BAÚ - LULUZINHO DANDO SEU CUZINHO PRO SERVENTE DE OBRA

AINDA ERA BEM NOVINHO, QUANDO ESSE MORENO FUDEU MEU CUZINHO ENQUANTO FAZIA SERVIÇOS EM MINHA CASA. VEJAM COMO EU JÁ ERA BEM PUTINHA....DEI GOSTOSO.

sexta-feira, 30 de março de 2018

LULU, O MORENINHO VADIO - MAMANDO ROLA DEPOIS DA PELADA.

 
CONFESSO, MEU INTERESSE POR PARTICIPAR DE PELADAS COM MEUS AMIGOS ERA SOMENTE PARA MAMAR SUAS ROLAS, POIS SOU MUITO RUIM NO FUTEBOL....MAS NINGUÉM ME DISPENSAVA DO TIME....SOU MUITO VAGABUNDA!!!!