CD LULU, A VADIA

CD LULU, A VADIA

segunda-feira, 29 de maio de 2017

CONTOS DE LULU - AFRICANO FAZ LULU CHORAR COM SUA ROLA MONSTRA.

No conto anterior relatei fatos que já demonstrava a puta que eu estava me transformando, abusei do africano amigo do meu primo, bolinei na sua imensa rola enquanto ele dormia e fui flagrado mamando a rola do segurança César e por causa disso tive que dar meu rabinho para um japonês hóspede da pousada do meu tio, a primeira rola gringa a entrar no meu cuzinho.
Mas outras três rolas gringas estavam preste a entrar no meu rabinho adolescente, havia voltado para casa, após deixar meu tio trabalhando. Tomei um banho afim de me deitar, meu cuzinho estava ardido, o japonês  me fudeu com gosto, lambuzei meu cuzinho com pomada, uma que meu tio passava em mim para aliviar nossas fodas, aliviava bastante o estrago no meu cuzinho.
Apesar do barulho lá fora causado pelo o som dos trios elétricos que passavam  em frente  de casa, eu acabei adormecendo, só fui despertar com umas risadas na sala de casa, fiquei assustado pois estava sozinho em casa, mas logo reconheci a voz do meu primo e fui ver o que estava acontecendo.
A cena que avistei na minha frente jamais esqueci, meu primo Caio e seus amigos estava acompanhados de duas moças nuas, uma delas com a boca na rola do meu primo, a outra deu um grito surpresa com a minha presença.
- Nossa, tem um menino aqui nos vendo!
Caio e seus amigos também se viram surpresos ao me ver parado com os olhos arregalados, eu nunca tinha visto uma mulher nua na minha frente. Caio me segura pelo o braço e me leva para o quarto.
- Volte já pro quarto! –  gritou Caio zangado.
- Eu quero beber água! – respondi sem deixar de olhar pras moças nuas.
Caio me segura pelo o braço e me arrasta para o quarto a força, fechando a porta em seguida. Mas minha presença melou a festinha deles, as moças se recusaram a continuar, ficaram constrangidas com a minha presença e deixaram os rapazes na mão.
Caio abriu a porta do quarto com um chute e bastante irritado se dirigiu pra mim.
- Cara você atrapalhou tudo! – disse ele ao segurar meu braço com força.
- Me solta! – gritei assustado.
Percebendo que meu primo estava bêbado, fiquei com medo, ele ficava muito estranho quando bebia, comecei a chorar, seus amigos logo entram no quarto preocupados e me afasta dele. Caio insistia em me confrontar, Tom o angolano se coloca em minha frente, pedindo calma ao amigo.
- Calma,cara! – disse ele com seu sotaque português – Você está assustando o miúdo!
Fred e Jean levam Caio para a sala e Tom me leva até a cama e me faz sentar em seu colo tentando me acalmar, pois eu continuava chorando assustado, o angolano carinhosamente me abraçou.
- Calma bonitinho! – dizia ele ao acariciar meus cabelos.
Mais calmo, percebi a situação em que me encontrava, estava somente de cueca, sentado sobre o colo do angolano, fiquei desconfiado com o carinho dele ao passar suas mãos sobre minhas coxas, senti que o volume sob a minha bundinha começava a crescer e levemente me acomodei, facilitando o encaixe de sua rolona entre minhas nádegas.
Fred o outro angolano entra no quarto e vai até o banheiro, assustado saio de cima do colo do Tom e me deito na cama, este ajeita sua rola no calção e me deixa, mas antes acaricia minha bundinha.
Alguns minutos depois, Fred sai do banheiro e se aproxima de mim, eu sabendo de sua presença me deito de bruços e finjo dormir.  Fred ao passar por mim, para por algum instante e admira minha bundinha carnuda, se aproxima e acaricia levemente meu bumbum, saindo logo em seguida.
Após alguns minutos, Caio entra no quarto e se deita ao meu lado, aquilo me deixou aflito, pois seus amigos poderiam nos ver.
- Desculpa! – balbuciou ele ao meu ouvido – Fui grosseiro com você....
- Me deixa em paz! – falei ao me afastar dele e correr para fora do quarto.
Caio correu atrás de mim, imitando minha voz infantil, “me deixa em paz”. seus amigos se divertiram com a cena, meu primo me alcança, me derruba no chão, e cai sobre mim.
Gritei pedindo que ele saísse de cima de mim, pois estava me sufocando, Caio apenas sorria divertido, ele estava muito embriagado.
- Seu pestinha gostoso! – disse ele ao abaixar minha cueca e apalpar meu bumbum.
Gelei com aquela sua atitude e tentei afastar sua mão da minha bunda, mas o cretino continuava a me apalpar.
Fred e Jean vendo minha situação, retira Caio de cima de mim e o coloca sobre o sofá.  Enquanto isso Tom me ajuda a levantar do chão, me ajuda a colocar minha cueca novamente.
- Calma! – disse Tom ao perceber meu constrangimento – Caio está muito bêbado, não sabe o que está fazendo.....não é mesmo rapazes?
Jean e Fred concordaram com o amigo, os dois também estavam embriagados, percebi quando se aproximaram de mim, cheiravam a bebida.  
- Pode ficar tranquilo, meu pequeno! – falou Jean ao se aproximar de mim e acariciar meu rosto – Seu primo apagou, acho que daquele sofá hoje ele não sai.
Mais tranquilo, voltei para meu quarto, deixando os rapazes na sala, meu tio estava demorando muito, resolvi ligar para ele, mas Fred lembrou que ele já tinha avisado ao Caio que não viria pra casa. Ao saber daquilo desejei boa noite para os rapazes e voltei para a cama.
Não lembro quanto tempo depois, mas já era de madrugada quanto sinto uma mão acariciar minha bunda, imaginei que fosse Caio novamente, recuei daquele toque, mas estava enganado,  mesmo diante da penumbra do quarto, reconheci que eraTom que me apalpava.
- O que você está fazendo? – perguntei ao olhar pra ele.
Tom apenas fez sinal de silêncio, se afastou de mim e foi até a porta do quarto e fechou, voltando em seguida para a cama. Naquele momento não consegui dizer nada, apenas obedeci o angolano, que se acomodou próximo de mim e me abraçou, ficamos abraçados de conchinha.
Tom coloca sua mão dentro da minha cueca e acaricia minha bundinha, eu apenas suspiro de prazer e aquilo foi o sinal que ele esperava, pois me despiu e ainda de cueca ele ficou roçando sua rola na minha bundinha, senti um pedaço de carne endurecida pressionando meu bumbum, eu apenas gemia com aquele contato, sinto Tom também se despindo e colocando sua pica entre minhas nádegas e com isso ele ficou forçando meu cuzinho, recuei temeroso com aquele contato.
Percebendo meu temor, Tom me posiciona de bruços, abre minha bundinha e cai de boca em meu cuzinho me arrancando um suspiro de prazer, a língua do africano forçava a entrado em meu cuzinho, era gostoso demais. Tom sentou na cama e pediu pra eu sentar no colo dele, pedi para acender a luz, mas ele achou melhor ficarmos daquela maneira, não insisti e obedeci, antes Tom lambuza meu cuzinho e enfia um dedo que entrou facilmente, gemi para disfarçar que não estava acostumado com aquilo, ele encaixou a cabeça da rola em meu buraquinho,  me acomodei em cima e forcei, mas não consegui, a cabeça da rola dele era grande demais, percebi ao apalpá-la. Tom pediu para me deitar de bruços, coloca um travesseiro sob minha bunda, deixando-a empinada, arreganha meu cuzinho com dois dedos enfiados, aquilo me causou desconforto, mas o pior estava por vim, o angolano deita sobre mim, encaixando a glande em forma de cogumelo de sua rola em meu buraquinho.
Tom calmamente forçou a entrada de sua rola em meu cu, recuei com a dor que aquilo proporcionou, ele me pediu para relaxar e tentou de novo, desta vez com mais pressão, senti meu cuzinho  estalar, a cabeça da rolona se alojou dentro de mim, a dor foi imensa, pedi para Tom tirar, ele percebendo meu sofrimento sai de cima de mim, mas pediu para eu permanecer de bruços e um jato quente de esperma cai sobre meu bumbum.
Tom se despediu de mim com um beijo no rosto, vou até o banheiro, limpo o esperma do meu bumbum e volto para a cama, fiquei frustrado por não ter dado conta daquela rola, era monstruosa.

Continua nos próximos capítulos.....

domingo, 21 de maio de 2017

LULU DE CALCINHA ENCARANDO UM SEGURANÇA ROLUDO

video
ADORO SENTIR UMA ROLA ME RASGANDO.....DEI GOSTOSO PARA ESSE SEGURANÇA, GEMI FEITO UMA PUTINHA NO CIO.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

LULU, O MORENINHO VADIO LEVANDO ROLA DO VIZINHO

video
ESSE COROA MORAVA PRÓXIMO A MINHA CASA, NESSE PEQUENO TRECHO DO VIDEO, O TARADO ENFIA SEM DÓ SUA ROLA NO MEU CUZINHO, EU ERA MUITO NOVINHO NESSE VÍDEO. 

domingo, 14 de maio de 2017

FOTOS DE LULUZINHO DANDO O CU PRO TITIO

QUANDO ERA NOVINHO ADORAVA  
BRINCAR ASSIM COM MEU TIO.

quinta-feira, 27 de abril de 2017

CONTOS DE LULU - O DIA EM QUE LULU DEU O CUZINHO PARA UM JAPONÊS

Após terem me fudido, meu tio e meu primo Caio me deixam sozinho em casa.
- Não faça barulho, os amigos do Caio estão descansando! - disse meu tio ao deixar o quarto.
- Esses caras, estão muito bêbados, pode a casa cair e eles não despertaram, conheço muito bem quando ficam assim. - disse Caio ao sair do banheiro e se vestir - Eles apagam de verdade, ali só com um balde de água fria.....
Meu cuzinho estava todo melecado de porra, tomei banho e resolvi brincar de videogame, ao chegar na sala, avisto Tom esparramado no sofá, somente de toalha, dormindo profundamente, os outros estavam no quarto ao lado, o ruivo francês Jean e o outro angolano Fred.
Lembrei do que Caio disse, eles realmente estavam apagados e uma ideia maluca veio na minha cabeça, lembrei do tamanho da rola do negão e uma vontade louca me deu, quis conferi mas de perto aquela jeba preta e com cuidado afasto um pouco a toalha e para minha alegria o negão estava pelado e o pedaço de carne negra repousava entre suas pernas, levemente seguro sua rola em minha mão, era macia, um grande pedaço de chocolate, pensei ao balançá-la de um lado pro outro feito um grande pêndulo, Tom permanecia adormecido indiferente aos meus toques, meu cuzinho piscou ao imaginar aquela picona atolada no meu cu, mas pelo o tamanho dela, eu certamente não daria conta, era a maior rola que já vi, superava a do segurança César.
Permaneci por alguns momentos admirando a pica do africano e resolvi colocá-la na boca, não consegui abocanhar, era grossa demais, passei minha língua sobre sua glande roxa, e tomei um susto ela cresceu em minhas mãos, rapidamente soltei, meu coração quase parou ao ver aquilo, mas Tom  permaneceu inerte, parecia morto, aquilo me tranquilizou e voltei a chupá-lo, era muito excitante aquela situação, estava abusando do amigo do meu primo, sua rola cresceu ainda mas com o toque dos meus lábios, chegou a soltar uma babinha que fiz questão de experimentar, estava muito deliciosa aquela situação, mas tive que parar, ouvi passos se aproximando, rapidamente corro para meu quarto e finjo dormir. Era meu primo Caio voltando.
Meu coração batia disparado, não conseguia acreditar no que tinha feito, ainda sentia o gosto daquela rola em minha boca.
Caio despertou seus amigos, pois tinha mais folia pela a frente, Fred percebeu a animação do seu amigo Tom sob a toalha.
- Eita, nosso amigo teve um sonho daqueles! - falou Fred ao ver o amigo excitado e puxar a toalha que o cobria.
Todos se divertiram com a cara envergonhada do amigo tentando se cobrir, principalmente quando cheguei na sala.
- Parem com isso! - disse Tom ao tentar erguer a toalha - Respeita a presença do menino.
Jean rapidamente coloca sua mão sobre meus olhos, que deviam está paralisados com a visão de Tom completamente pelado na minha frente, embora já tivesse visto ele nu, não dava para ficar indiferente aquela visão. Depois daquele incidente, Caio e seus amigos se preparam para cair na folia do carnaval.
Como era chato ser criança numa horas dessas, lamentei ao fazer companhia ao meu tio na pousada, mas uma vez ele não deixou eu acompanhar Caio e seus amigos no trio elétrico que  passavam próximo a pousada.
Enquanto a folia estava  a todo vapor lá fora, dentro da pousada estava tudo tranquilo, um grupo de japoneses chegaram e meu tio teve que os atender, gostava de ver meu tio trabalhar, ele atendia a todos com atenção.
Avisto o segurança César no estacionamento e vou até ele, este ao me ver acaricia minha cabeça.
- Muito trabalho hoje? - perguntei ao entrar na quarita - O senhor não vai se divertir nesse carnaval?
- Claro que sim! - respondeu ele ao me colocar em seu colo -  E você parece triste....o que está acontecendo?
Falei que estava entediando, não tinha muito o que fazer, queria está como meu primo no trio elétrico que tocava na avenida em frente da pousada. César sorriu, ele deu razão ao meu tio em me fazer ficar em casa, ele disse que tem um filho na minha idade e que pega no pé dele também.
César sugeriu sua rola para me animar, confesso que adorei sua proposta e sem demora, me agacho e abocanho sua rola com vontade, o segurança suspirava com minhas chupadas, teve um momento que um cliente se aproximou para deixar as chaves do carro e continuei solvendo a rola negra do grandão até ele derramar seu leite dentro da minha boca, engoli cada gotinha. Após gozar em minha boca, deixei César trabalhando e fui até o banheiro limpar meu rosto.
Estava distraído lavando o rosto, quando um japonês entra no banheiro, ele olha pra mim, e exibe sua rola cor de rosa, me convidando para chupá-lo, eu balanço minha cabeça recusando, mas o cretino aponta para o estacionamento, mostrando César ao longe,  pelos seus gestos, ele me viu chupando o segurança, lembrei do momento em que um cliente entrega as chaves do carro, era ele.
Aquela situação me deixou assustado, mas confesso que também excitado, a visão daquela rola balançando para mim era tentadora, sem demora, me aproximei do japa e fiz aquela rola branquinha crescer, não era muito grande, mas era suficiente para encher minha boca, chupei com vontade, o japa era jovem, com o corpo bem malhado, uma delicia. Após chupá-lo por alguns minutos, o japonês me carrega até a cabine, abaixa meu short e se admira com a marquinha de bronzeado no meu bumbum moreno, cai de boca em meu cuzinho, lubrificando bastante meu buraquinho e sem demora atocha sua rola em mim, aquilo doeu me arrancando um grito, mas rapidamente ele tampa minha boca com sua mão e feito um louco enterra sua rola dentro de mim, após alguns minutos ele goza, fico exausto sentado no sanitário, vejo a porra saindo do meu cuzinho ardido feito pimenta, o japa sai rapidamente do banheiro e sem acreditar no que havia acontecido vou para meu tio e digo a ele que iria me deitar.

Continua nos próximos capítulos.......

sábado, 22 de abril de 2017

LULUZINHO BRINCANDO COM UMA GARRAFA NO CUZINHO

MEU TIO GOSTAVA DE ME COLOCAR A PROVA, E UMA DELAS FOI DE ENGOLIR ESSA GARRAFINHA PELO O CU, JÁ NOVINHO GOSTAVA DE BRINCAR COM COISAS GROSSAS NO MEU RABINHO, SÓ NÃO ENTROU TODA PORQUE NÃO HAVIA MAIS ESPAÇO, AINDA ERA NOVINHO QUANDO TIREI ESSA FOTO.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

LULU, O MORENINHO VADIO FUDENDO COM UM VIZINHO

video
ADORO MEUS VIZINHOS, SEMPRE TEM UM AFIM DE ME FUDER.....QUE DELICIA.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

LULU COM FOGO NO RABO - BRINCANDO COM SEU RABINHO


ADORO SENTIR OS 27cms DA ROLA DO JOHN HOLMES ATOLADA NO MEU CU


ADORO SENTIR OS 32cms DA ROLA DO KID BENGALA  ATOLADA NO MEU CU

domingo, 26 de março de 2017

CONTOS DE LULU - UM CARNAVAL DE MUITA ROLA PARA LULU




Minha estadia na Bahia ganhou mais uma semana, após insistir muito, consegui convencer meus pais para voltar para casa só após o carnaval, já que minhas  aulas só começariam após o carnaval. Meus pais antes de voltarem para Fortaleza, passaram aqui na Bahia e nos visitaram, adorei rever meus pais, se assustaram com meu tamanho e meu bronzeado, coisas de pais babões. Mas o que tenho para contar é sobre o que viria me acontecer nesses dias de folia.
Meu tio estava muito eufórico, pois sua pousada estava 100% lotada, a maioria turistas. Caio, meu primo apareceu com com três amigos, eles ficaram hospedados na nossa casa, quando vi os caras, meu cuzinho logo piscou, eram jovens como Caio, bonitos e bem malhados, um era Francês, se chamava Jean, era ruivo, parecia uma espiga de milho, já os outros dois eram bem escuros, eram africanos de angola, todos estudavam com meu primo na mesma faculdade.
- Esse é Lulu, meu priminho! - disse Caio ao me apresentar seus amigos.
Me senti uma aberração, quando os africanos  perceberam a cor verde dos meus olhos e ficaram admirados, meus olhos deviam estar bem destacados afinal eu estava quase da cor dos africanos, estava muito bronzeado.
Confesso a vocês que a presença daqueles rapazes me deixou excitado. Logo que chegaram foram para a folia com meu primo, implorei para ir com eles, mas claro que meu tio não deixou, eu ainda era muito novo. As vezes odiava essa minha condição de criança, não via a hora de completar minha maioridade. Dava meu cu como um adulto, mas não podia brincar carnaval como um.
Chorei muito com a recusa do meu tio, mas não adiantou, tive que ficar em casa, brincando de videogame como fazia todo dia, Dona Josefa trouxe sorvete para mim, afinal de me acalentar, dizendo que meu tio tinha razão, mas o que me acalentou foi foi a rola do senhor Pedro, o pedreiro que me fudeu quando fazia  serviços aqui em casa, o negão era marido de Dona Josefa, ele veio trazer uma encomenda para meu tio.
- O que fizeram ao menino? - perguntou Sr. Pedro ao perceber meus olhos cheios de lágrimas - Não gosto de ver meu amiguinho assim.
Dona Josefa contou a razão e cada vez que ouvia me chamarem de criança minha raiva aumentava ainda mais. Sr. Pedro sentou ao meu lado diante da televisão, e logo percebi sua intenção, o negão colocou a almofada sobre seu colo, tentando esconder sua ereção, meu cuzinho piscou ao ver o pedaço de carne negra ereta apontando para mim sob a almofada. Não pensei duas vezes, discretamente segurei a rolona e masturbei levemente tirando suspiros de prazer do coroa.
Enquanto Dona Josefa realizava suas tarefas, eu e Sr. Pedro fomos até o quintal, o coroa não perdeu tempo, me levou para um cantinho escondido e após lambuzar meu rabinho empinado lascou sua rola dentro do meu cuzinho, eu apenas gemia de prazer e dor, o negão me penetrava sem dó, deixando seu leite dentro de mim.
Com o rabo ardendo, voltei para dentro de casa e Sr.Pedro foi embora. Voltei a brincar com meu videogame, confesso que aquelas roladas me acalmaram, pensei ao sorrir com essa constatação.
Após o almoço Dona Josefa foi para sua casa me deixando sozinho, acabei adormecendo no sofá, mas logo despertei com a chegada do meu primo e seus amigos, o ruivo Francês Jean e os angolanos Fred e Tom.
Os quatros estavam muitos animados, Caio como sempre estava embriagado e isso me preocupava, pois ele sempre ficava descontrolado nessa situação, não deu outra, ele pulou sobre mim e ficou me sufocando de beijos.
- Assim tu machuca o pequeno! - reclamou Fred ao tirar Caio sobre mim.
- Adoro esse pestinha! - disse Caio ao me dar palmadas na minha bunda.
Detestava quando Caio ficava bêbado, pensei ao me afastar e ir pro meu quarto, deixei ele e o gringos conversando na sala, após alguns minutos, Caio entra no quarto e mostra o banheiro para Tom. fingi estar dormindo,  o angolano se desfaz das roupas e entra no banheiro, fiquei em estado de choque com o tamanho da jeba do negão africano, o troço era enorme. 
Depois de Tom foi a vez do francês entrar no banheiro, Jean faz cara de assustado com a rola do amigo, os dois brincam ao medir as jebas e a diferença era enorme.
Depois daquelas visões, acabei adormecendo novamente e só despertei com as caricias do meu primo Caio em meu bumbum, gelei ao lembrar da presença de seus amigos em casa.
- Estou com saudade desse cuzinho! - murmurou Caio em meu ouvido - Vamos brincar um pouquinho.
Percebendo minha preocupação, Caio disse que seus amigos estavam descansando noutro quarto. Mas tranquilo, apenas permaneci deitado de bruços e deixei Caio me comer, também estava com saudade daquela rola em meu cu, me rasgando com força, pois era assim que Caio gostava de me fuder. Me assustei com a aproximação do meu tio na cama, ele reclamou da atitude de Caio em fazer aquilo comigo com a presença dos seus amigos.
- Cara tenha mais cuidado! - reclamou meu tio - Teus amigos podem ver isso....
- Bobagem papai, os caras estão dormindo! - disse Caio ao me penetrar com vontade - E qual o problema?....Lulu daria conta deles com certeza....
- Quando a isso não tenho a menor dúvida! - disse meu tio sorrindo ao colocar sua rola em minha boca.
Aqueles dois me assustava, meu tio e seu filho, meu primo Caio eram dois tarados, pensei ao ser fudido pelos os dois enquanto os gringos dormiam no quarto ao lado.
Após gozarem em meu cu, os dois se afastam me deixando exausto deitado na cama.

Aguardem a continuação.......