quarta-feira, 21 de outubro de 2015

CONTOS DE LULU - LULU PERDENDO A VIRGINDADE COM O TIO




Tinha apenas doze anos quando tudo aconteceu.  Após insistir muito com meus pais, eles resolveram  deixar  eu passar as férias na casa do meu tio na Bahia, era a realização de um sonho, pois sempre quando ele vinha nos visitar eu pedia para ir com ele, mas devido eu ainda ser muito pequeno nessa época meus pais não permitiam, além do mais meu tio morava sozinho,  era viúvo e  não tinha como cuidar de mim.

Aos doze anos já me sentia um adulto, foi esse argumento que usei para convencer meus pais a me deixar partir com meu tio.  

Já estava uma semana na casa do meu tio quando tudo aconteceu, minha estadia na casa do meu tio, era só alegria e liberdade, ele tinha uma pousada em Porto seguro e por isso eu passava o tempo todo brincando com os moleques na praia.

Lembro que já era tarde quando meu tio chegou em casa que ficava nos fundos da pequena pousada que ele tinha, geralmente ele chegava tarde da noite, abria a porta do meu quarto e me observava dormindo, ficava parado por alguns instantes a beira da minha cama, eu fingia dormir, sempre fazia isso ao chegar em casa, também percebi que ele sempre chegava embriagado, dava para sentir o cheiro da bebida ao chegar perto de mim.

Meu tio apalpou seu pau ao me observar e se retirou, ouvi o chuveiro ligado, ele tomou um banho e passou para seu quarto que ficava ao lado do meu. Confesso que estranhei seu gesto ao se tocar, mas procurei dormir, afinal não tinha mais medo, não estava sozinho naquela casa.

Despertei com o forte cheiro de bebida ao meu lado, e tomei um susto ao perceber que meu tio estava ao meu lado, me abraçando e beijando minha nuca com carinho.

- O que é isso tio? – perguntei tentando me afastar dele.

Meu tio não me respondeu, apenas continuou a me acariciar, sua mão apalpava minha bunda com força, tentei me afastar, mas era impossível, ele era muito grande, me imobilizou com seu corpo sobre mim.

- Quieto meu amorzinho! – disse ele ao mordiscar minha orelha – Vamos brincar um pouquinho.

Tentei mais uma vez me afastar, mas meu tio me abraçou com força novamente e chorei ao perceber que nada poderia fazer diante daquela situação. Meu choro não comoveu meu tio, ele me deitou de bruço sobre a cama e tirou minha cueca, deitando sobre mim em seguida.

- Por favor tio, não faz isso! – murmurei ao sentir ele afastar minhas  nádegas e colocar seu pau na entrada do meu cuzinho.

- Calma meu amorzinho, o titio quer apenas brincar com você! – disse ele ao roçar seu pau  em meu cuzinho.

 Confesso que comecei a sentir uma sensação estranha ao sentir aquela pressão em meu cu, meu tio permaneceu assim por alguns minutos, forçando seu pau em meu cu, com movimentos leves. Seu bafo era pura bebida, me deixou enjoado. Mas uma vez tentei me afastar dele. Além do incomodo daquela situação, eu estava começando a gostar daquilo.

Meu tio se aborreceu com minha atitude e voltou a me abraçar com força e gritei ao sentir seu pau me forçando com mais pressão, a dor foi grande, comecei a chorar diante da eminência de ter as pregas do cu arrebentada.

Nada poderia fazer, eu era apenas um garoto de doze anos contra um adulto de quarenta anos, meu tio é um homem alto e forte, eu não tinha a menor chance.

- Não saia daí! – disse meu tio ao me deixar sobre a cama.

Obedeci meu tio e permaneci deitado, com minha cabeça sob o travesseiro. Poucos minutos depois, sinto meu tio colocar um travesseiro sob meu corpo deixando minha bunda empinada, em seguida sinto seu dedo lambuzando meu cu com manteiga, tentei mais uma vez me afastar, mas meu tio voltou a se deitar sobre mim e forçar seu pau em meu cu, desta vez uma dor lancinante me fez gritar, o caralho do meu tio entrou de uma vez, me rasgando as entranhas.

- Que delicia de cu, meu amorzinho! – falou meu tio ao se movimentar sobre meu corpo com força.

Cada movimento era uma tortura, seu pau tentava cada vez mais ganhar espaço dentro de mim, afinal o cacete do meu tio era grande e grosso, pude ver ao sair de dentro de mim.

Meu tio caiu satisfeito ao meu lado, indiferente ao meu choro, apenas afagava meus cabelos, tentando me consolar, permanecemos assim por alguns minutos.

Em silêncio, meu tio se levantou, seu pau ainda permanecia ereto, havia marcas de sangue ao seu redor, não conseguia acreditar que aquele enorme pedaço de carne tinha saído de dentro de mim.

Fiquei sozinho na minha cama, esperei meu tio terminar de se lavar no banheiro e entrar no seu quarto. Com dificuldade sai da cama, sentia fortes dores no cu e no pé da barriga. Debaixo do chuveiro, toquei em meu ânus e senti uma dilatação, ardia feito brasa e um pouco de sangue escorreu ao me banhar.

Voltei para minha cama e tentei dormir, imaginando como seria o dia seguinte.




Continua nos próximos capítulos.......

Um comentário:

Anônimo disse...

Graças a seu tio hoje vc é essa delicia!!!

Postar um comentário