sábado, 16 de janeiro de 2016

CONTOS DE LULU - O DIA EM QUE LULU TEVE O CU ESFOLADO PELA A ROLA DO PRIMO.


Essas férias certamente seriam inesquecível para mim, primeiro era a primeira vez que saia de casa sozinho, já tinha vindo a Bahia com minha mãe visitar meu tio, mas desta vez estava sozinho,  somente com meu tio e com ele descobri coisas que jamais poderia imaginar e sentir, sei que o que aconteceu foi muito grave fui abusado por meu tio, mas confesso que isso não me abalou, na época era impossivel, eu era apenas uma criança de doze anos, não tinha entendimento da gravidade do ocorrido, mas me deixei ser abusado por ele, no fundo aquilo tudo já dentro de mim, sabia que iria acontecer um dia, meu tio já dava sinais da sua tara por mim, diversas vezes sentia suas investidas em mim, quando eu era mais criança, gostava muito de apalpar meu bumbum, de brincar com meu cuzinho, forçando seu dedo em meu buraquinho.
Ao ser fudido por ele, para mim, era mais de uma de suas investidas, que já para mim era uma questão de hábito, aquilo era o modo dele mostrar seu carinho por mim, mas o que me aconteceu duas semanas atrás foi um gesto mais sério, eu fui uma criança criado por avós, não tinha malicia nenhuma, não tinha contato com coisas relacionadas a sexo, mas meu tio me iniciou nisso e vi que era uma coisa boa, apesar de ser um tanto dolorida, ainda não havia me acostumado com tudo aquilo, tanto que depois do que me aconteceu mal sai de casa, para mim todo mundo estava sabendo que eu havia perdido as pregas do cu, ainda tão novinho.
Eu estava ainda  dormindo quando ouvi a voz do meu primo Caio entrando em meu quarto.
- Acorda seu preguiçoso! - disse meu primo ao puxar meu lençol - Isso é hora de estar dormindo!
- Para seu doido! - falei ao tentar me cobrir, pois só estava de cueca e percebi o olhar do meu primo no meu bumbum.
- Levanta seu merdinha! - disse Caio ao jogar sua mochila ao longe e se afastar - Não vejo a hora de dar um mergulho no mar!
Da cama observo meu primo se desfazer das roupas e seguir para o banheiro, confesso que gostei do que estava vendo, Caio já era um moreno bem grande, ele era dez anos mais velho do que eu.
Resolvi me levantar e fui tomar meu café, meu tio entra em casa e procura por Caio, aviso que ele está no banho.
- Vista uma roupa! - reclamou meu tio ao me ver de cueca na mesa - Com Caio aqui procure andar vestido!
Hoje entendi a preocupação do meu tio na época, certamente ele temia do que poderia acontecer comigo e ele tinha razão, não demorou muito para meu primo me tratar diferente. Com a presença de Caio em casa, ficava mais dificil meu tio tentar alguma coisa comigo, já que eu e Caio passava-mos a maioria do tempo na praia  ou jogando videogames.
Certa vez, Caio estranhou meu calção todo melado na parte detrás.
- O que é isso mulegue! - disse Caio ao observar minha bunda toda melada - Presta atenção onde senta rapaz!
O que ele não sabia era que meu tio havia gozado em minha bunda ao se masturbar, com a presença do meu primo, ficava dificil ele me fuder. Eu havia ido até a pousada me encontrar com meu tio e o tarado  cheio de tesão me fez chupar sou rola por baixo do balcão da recepção enquanto ele atendia os clientes,  preste a gozar, meu tio me levou até o banheiro e mandou abaixar meu calção e gozou na minha bunda, senti seu esperma quentinho deslizar pelo meu rego e foi assim que voltei pra casa com minha bunda toda melada.
Aquela situação havia me deixado excitado e observei meu primo jogando videogame, Caio era um moreno bonito, toda malhado, fazia sucesso com as meninas da redondeza, eu sabia do seu apetite sexual, havia ouvido meu tio um dia comentando isso para minha mãe numa ocasião.
Ao ouvir seu comentário sobre minha bunda melada, não pensei duas vezes, joguei fora o calção e fui até o banheiro tomar banho, fiz aquilo de propósito só para ver a reação do meu primo e percebi que ele olhou para minha bunda e tocou em seu pau discretamente. Ao voltar do banho coloquei uma toalha e ao passar por Caio ele puxou minha toalha me deixando pelado em sua frente e caiu numa gargalha ao me ver encabulado.
- Que pintinho pequeno priminho! - disse Caio ao apalpar minha bunda - Mas a bundinha é bem grandinha, uma delicia,
Me afastei dele e voltei para o quarto, fiz de conta que não ouvi o que ele disse, e me vesti para ir jantar.
Ao anoitecer, soube que iriamos ficar sozinhos em casa, meu tio tinha um compromisso com uns gringos que haviam se hospedado na pousada e só voltaria noutro dia.
Havia se passado uma semana que meu primo havia voltado pra casa, embora a diferença de idade entre a gente era grande, nos tornamos bem próximo, ele me tratava como priminho e assim fiquei conhecido entre seus amigos da praia.
Deixei meu primo conversando com umas moças na pousada e fui para casa, que fica ao lado e tratei logo de dormir. Despertei com o barulho da porta  do quarto se abrindo e avistei meu primo entrando, fingi dormir e observei ele se despindo, ficou completamente nu, diferente do meu tio, Caio não era muito peludo, havia pêlos sobre sua rola, como todo adulto, pensei, ele era o segundo adulto que via pelado e sua rola era tão grande quanto do meu tio, acho que até maior, parecia mais comprida. Caio foi até o banheiro, estava cambaleando, devia ter bebido, aproveitou a ausência do pai para beber.
Caio saiu do banheiro e ainda nu se aproximou da minha cama, continuei fingindo dormir, mas deixei uma parte da minha bunda descoberta pelo o lençol de propósito e certamente aquela visão atraiu meu primo. Senti sua mão alisando minha bunda, puxou o lençol expondo ainda mais minha bunda, e me dar uma palmada forte.
-  Caralho, priminho! - disse ele ao apertar minha bunda - Que bundinha tesuda é esse meu, me deixou cheio de tesão!
- O que é isso, Caio? - falei ao fingir despertar - Pare de tocar na minha bunda!
- Deixa eu pegar só mais um pouquinho, priminho! - insistiu Caio ao continuar segurando na minha bunda - Sabia que você tem uma bundinha linda....lisinha...uma delicia.
Até algumas semanas atrás aquilo seria uma situação inusitada para mim, mas agora certamente faria parte da minha vida daqui pra frente, pensei ao olhar para Caio, que permanecia pelado na minha frente, já exibindo uma ereção.
Ele percebeu meu espanto ao ver se pau ereto, e rapidamente colocou uma toalha cobrindo-se, mas mesmo assim, dava para notar o volume por debaixo da toalha.
- Calma, não precisa ter medo, priminho! - falou Caio ao sentar ao meu lado na cama - Confia em mim.....vamos brincar um pouquinho!
Nao sei brincar disso, falei ao olhar pra ele e fingir ser ainda uma criança inocente, uma inocência que estava perdendo aos poucos, junto com minhas pregas do cu.
Trêmulo, me deixei conduzir por Caio, ele me faz ficar de quatro, e abaixa minha cueca, expondo minha bunda roliça empinada para ele.
- Puta que pariu! - exclamou ele ao abrir minhas nádegas e passar a lingua em meu cuzinho lisinho - Que buraquinho mais delicioso!!!
Não pude deixar de soltar um gemido de prazer, aquilo era bom  demais, mas não podia dar bandeira, tinha que continuar fingindo que era a minha primeira vez.
- Vejo que está gostando, não é safadinho! - falou Caio ao enfiar o dedo em meu cu - Hummm.....que cuzinho mais queentinho priminho....
Gritei de dor e comecei a chorar com aquele dedo enfiado no cu,  realmente aquilo estava doendo, pedi para Caio parar com aquilo, mas ele permaneceu com o dedo atolado em meu rabo, indiferente aos meus apelos.
- Você está me machucando! - reclamei ao tentar afastar a mão de Caio sobre minha bunda - Isso doí muito!
 Caio e estava bébado, cheirava a bebida, igual ao meu tio na noite que me fudeu e percebi que aquela noite meu cu iria conhecer outra rola que não era do meu tio. Senti um alivio quando Caio retirou o dedo do meu cu, ele voltou a passar a lingua dentro do meu rabo, aquilo era muito gostoso, me deixando molinho, estava relaxando com aquelas caricias quando senti meu cu sendo forçado, Caio havia colocado seu cacete na portinha do meu cu, que naquele momento estava todo lubrificado com saliva e antes deu pensar em me afastar, ele me segurou pela a cintura e cravou sua rolona grossa dentro de mim, que deslizou buraco adentro, gritei de dor, ao sentir aquela invasão.
-  Grita seu putinho gostoso! - falou Caio ao me segurar contra seu corpo, eu literalmente estava preso nele, seu pau atolou dentro de mim - Que cuzinho mais quentinho, meu priminho gostoso.....
Fiquei sem reação, Caio me pegou de surpresa, agora estava ali, com aquela rola alojada dentro do cu, o cretino estava muito bébado, caiu sobre mim, me prendendo sob seu corpo, e com isso seu pau ganhou mais espaço dentro de mim, senti cada centimetro entrando.  Chorei, implorei para ele me deixar em paz, mas meus lamentos parecia dar mais tesão no cara e ele continuava empurrando sua jeba dentro de mim, dava para ouvir o barulho da penetração, meu cuzinho estava sendo mais uma vez esfolado.
- Para, por favor!!! - implorei ao tentar sair debaixo de Caio, mas ele era muito pesado, era impossivel me soltar dele - Você está me sufocando....por favaor Caio saia de cima de mim.
Minha situação era preocupante, como me livrar daquele rapaz de 80kg e 1.90cm de eu era apenas um garotinho de 1.40cm, no máximo pesava 35kgs. Mas para minha sorte, Caio desfaleceu de tão bêbado e caiu para o lado, sua rola saiu de dentro de mim ainda dura, melada de sangue, com dificuldade fui até o banheiro e lavei minha bunda, que sangrava. Voltei para o quarto e Caio continuava deitado na cama adormecido e pro incrível que pareça, seu pau se mantinha ereto, apontado para cima, não deixava de ser engraçado aquela visão.
Cobri meu primo e fui para sua cama que ficava próximo a minha e procurei dormir.

Continua nos próximos capítulos.......

Nenhum comentário:

Postar um comentário