CD LULU, A VADIA

CD LULU, A VADIA

quinta-feira, 27 de julho de 2017

CONTOS DE LULU (Capítulo 20) LULU ABUSADO POR TRÊS JAPONESES TARADOS.

No relato anterior, cai nas garras no gringo ruivo, Jean aproveitou que eu estava sozinho em casa, me fudeu gostoso.
Ao chegar na pousada eu e Jean nos afastamos, o gringo ficou na piscina enquanto fui dar um alô para meu Tio. Após falar com meu tio resolvi dar um mergulho na piscina, mas estremeci ao ver o japonês que abusou de mim o cretino ao me ver tocou seu pau sob a sunga e se aproximou de mim, mergulhei na piscina e nadei para longe dele.
O japonês percebendo minha atitude se afastou e foi ao encontro de dois japonês, que estavam se bronzeando, percebi que eles olharam para mim. Certamente o cretino devia ter contado para os amigos o que tinha feito comigo.  
Olhei ao meu redor e percebi que havia pouca gente na piscina, além dos três japoneses, o ruivo Jean que conversava animado com uma moça, a pousada estava lotada, mas os hóspedes preferiam a praia que ficava há poucos metros dali. Permaneci nadando de um lado pro outro na piscina, aproveitando para relaxar um pouco, não dei importância para os japoneses, teve um que exibiu um sorvete para mim, pedindo para eu pegar onde eles estavam, olhei ao redor, temi que meu tio estivesse por perto, olhei para Jean, o ruivo estava se dando bem, o francês estava beijando a moça na boca. 
O japonês que me comeu, aproximou de mim e entregou o sorvete, pensei em recusar, mas aceitei, afinal adoro sorvetes. Mas sabia que aquela atitude do japa tinha uma intenção, meu cuzinho apesar de dolorido das roladas do francês, deu uma piscadinha, quando isso acontecia ficava difícil me controlar. O Japonês balbuciou algumas frases, mas como eu não falava japonês e nem ele português ficou difícil para nos entender, mas ao olhar o volume sob sua sunga percebi que conhecia muito bem aquele sinal, meu coração acelerou.
Os outros dois japoneses gesticulavam nos chamando, olhei ao redor e nem percebi que Jean havia saído, eu estava sozinho com aqueles três japoneses tarados. Sai da piscina e me deitei de bruços na cadeira afim de me bronzear, empinei bastante meu bumbum moreno para o deleite dos japas.
Os três japoneses trocaram de lugar e ficaram mais próximo de mim, eles se insinuavam para mim, tocando em seus pênis, aquilo era muito tentador, pensei ao observar seus gestos libidinosos para comigo. O japonês que me fudeu, entregou para mim um papel com o numero do seu quarto e saiu junto com seus amigos.
Fiquei com aquele papel em minha mão por alguns minutos, meu cuzinho não parava de piscar em imaginar a rola daquele japonês dentro de mim novamente, os japas eram bem atraentes, pensei ao lembrar deles, deviam ter no máximo trinta anos.
Não dava para resistir, resolvi dar uma passada no quarto do japa, mas tive que me esconder do meu tio, ainda bem que ele parecia muito atribulado dando ordens para os garçons, aproveitei e segui para o corredor onde ficavam os quartos, com o coração aos pulos  bati na porta.
O japonês abriu a porta e com um brilho nos olhos me puxou para dentro e sem demora colocou sua rola para fora e me fez chupá-lo, e assim fiz com gosto, o japa se contorcia de prazer com a minha boquinha sugando seu pedacinho de carne rosa. Seu dedo cutucava meu cuzinho, senti um pouco incomodado com aquilo, mas resisti com seus avanços.  Gemi ao sentir seu dedo ganhar espaço dentro de mim, ele atolou dois dedos facilmente dentro de mim, e logo em seguida colocou a rola dentro do meu rabinho, ele me levou até a cama e continuou a me penetrar com força, eu apenas gemia ao sentir sua rola entrar e sair dentro de mim.
Alguns minutos depois, sinto ele jorrar seu leite dentro de mim, sua rola pulsava dentro de mim, ficamos abraçados na cama, até que alguém bate na porta, eram os outros dois japoneses, me assustei ao vê-los, mas com gestos eles procuraram me acalmar, mas não tinha remédio melhor do que eles em seguida me deram, três rolas para mim chupar.
Um dos japoneses, o mais novinho se colocou entre minhas nádegas e começou a chupar meu rabinho, aquilo era covardia, adoro uma língua no meu cu, enquanto ele fazia isso, eu chupava as rolas dos outros dois.
Após lambuzar muito meu cuzinho com saliva, o japa mais novinho entrou com tudo dentro do meu rabinho, quase mordi a rola de um dos japas, pois gritei de dor, rapidamente um deles tampou minha boca, abafando meu gemidos, me levaram para a cama, me posicionaram de quatro e com o bunda empinada e se reversaram no meu cuzinho me penetrando com força,  minha sorte era que a rola deles não eram avantajadas como as que eu já havia conhecido, para facilitar mais suas metidas me posicionei melhor para recebê-los.
Os três japoneses me comeram com vigor, os três conversavam animados enquanto me fundiam, eu não entendia nada, mas pela expressão deles eu devia estar agradando.
Depois de quase uma hora de muita rola, deixei os gringos japoneses exaustos no quarto, com as pernas bambas e com o cuzinho cheio de porra, corri para casa.


Continua nos próximos capítulos.



Nenhum comentário:

Postar um comentário